Momentos históricos registrados por fotojornalistas são reunidos em projeto na web

Lançada pelo Instituto Moreira Salles, plataforma “Testemunha Ocular” apresenta produção e trajetória de 50 profissionais de diferentes gerações e regiões do país.
Gilberto Gil no III Festival de Música Popular – São Paulo, SP, 1967 (Foto: Walter Firmo/Acervo Instituto Moreira Salles)

Atualizado às 21h09 de 19/06/22 para acréscimo de informações.

Cenas cotidianas, flagrantes e eventos históricos registrados pelas lentes de 50 fotógrafos ao longo das últimas décadas são o foco do site “Testemunha Ocular”, lançado nesta semana pelo Instituto Moreira Salles (IMS). Entre os destaques do acervo disponibilizado online estão coberturas em imagens de momentos decisivos da Ditadura Militar, da Copa do Mundo no Chile em 1962 e do impeachment do presidente Fernando Collor.

O projeto parte da vasta presença do fotojornalismo na coleção do IMS, que inclui de coleções autorais a aquisições, a exemplo do acervo fotográfico dos jornais dos Diários Associados no Rio de Janeiro, adquirido em 2016. Além da possibilidade de revisitar acontecimentos marcantes da história recente, o repositório virtual traz textos críticos e depoimentos em vídeo. 

João Butão e seus cabritos. Canudos, BA, 1994 (Foto: Evandro Teixeira/Acervo Instituto Moreira Salles)

Dividido em seis seções, o site é voltado tanto para pesquisadores quanto para o público em geral. A principal apresenta a produção e a biografia de seis fotojornalistas cujos trabalhos estão sob a tutela do instituto: José Medeiros, Luciano Carneiro e Henri Ballot – nomes que fizeram parte da revista “O Cruzeiro” –, Evandro Teixeira, Custodio Coimbra e Walter Firmo, cujo acervo está em cartaz em exposição no IMS Paulista. Cada profissional tem uma página própria, contendo uma amostra de 50 imagens e textos explicativos.

A seção seguinte, intitulada “Em Foco”, traz uma seleção da obra e um perfil de 44 fotógrafos de várias partes do Brasil, entre veteranos como Reginaldo Manente, Rosa Gauditano e Hélio Campos Mello, e jovens em ascensão, como Gabriela Biló, Júlio César, Felipe Dana e Victor Moriyama. O espaço também homenageia dois nomes da imprensa que morreram neste ano: Orlando Brito, considerado um dos maiores fotojornalistas de política em Brasília em mais de cinco décadas de carreira, e Erno Schneider, conhecido pela foto icônica de Jânio Quadros com as pernas enroscadas.

A criação da plataforma teve a consultoria de Flávio Pinheiro, superintendente-executivo do IMS de 2008 a 2020, enquanto a edição do site ficou a cargo do jornalista Mauro Ventura e do fotógrafo Leo Aversa. De acordo com os organizadores, o repositório tem o objetivo de ressaltar o impacto do fotojornalismo no registro da realidade brasileira e na construção da memória visual do país relacionada à diversidade social, racial, de gêneros e geográfica, preservando o passado e o presente.

Para isso, o projeto procurou ainda ouvir as perspectivas dos próprios fotógrafos – na seção “Relance”, na qual os profissionais relembram os bastidores de um registro marcante ou curioso, ou por meio de depoimentos sobre suas trajetórias, disponíveis no espaço “Vida Longa”.

Total
0
Shares
✶ Relacionado

Nós utilizamos cookies e tecnologias semelhantes. Ao continuar navegando, entendemos que você concorda com o uso desses recursos para aprimorar sua experiência neste site. Conheça nossa política de privacidade.