Siga a ZACHPOST

Olá, o que você está buscando?

Self & Lifestyle

Férias sem sufoco: como organizar uma viagem incrível sem ficar no aperto depois

Evite os principais perrengues na hora de viajar e confira dicas de como economizar com hospedagem, alimentação e passagens.

Registro de uma das andanças da secretária executiva Tassia Augusto pela Laguna 69, no Peru (Foto: Arquivo Pessoal)

Ana Beatriz Silva

Conhecer paisagens incríveis, experimentar a culinária típica, vivenciar momentos incríveis e — talvez o principal — não ir à falência depois da viagem. Essas são as principais expectativas da secretária executiva Tassia Augusto quando planeja seu próximo destino de férias. “Evito lugares muito turísticos, procuro sempre conversar com os locais e descobrir o que fazer de melhor nas cidades”, conta.

Tassia, que mora na capital paulista, adora paisagens naturais e até mochilou por um mês pela América Latina. O caso exemplifica com exatidão o perfil dos millennials sobre o hábito de viajar. Gostam de explorar e anseiam por experiências agregadoras em detrimento de destinos típicos oferecidos em pacotes, como também são cada vez mais interessados no assunto, de acordo com os últimos seis levantamentos do Ministério do Turismo.

A paixão por conhecer lugares novos foi justamente o que uniu o casal Fernanda Arantes e Rurik Ayub, de Agudos, no interior de São Paulo. Eles já conheceram juntos mais de 20 países como Alemanha, Estados Unidos, Filipinas, Grécia, Tailândia e Turquia. “Sempre buscamos por destinos mais longes por pensar que, no futuro, talvez com filhos, não tenhamos a mesma disposição e tempo”, afirma Fernanda.

O casal criou até uma conta no Instagram, o @viajandocomamor, para compartilhar fotos e dicas sobre as viagens. Inclusive, o perfil faz sucesso e acumula mais de 80 mil seguidores atualmente. “Queríamos compartilhar dicas que não encontrávamos com facilidade e que poderiam facilitar a vida de outros viajantes”, explica a publicitária Fernanda Arantes.

O casal Rurik Ayub e Fernanda Arantes: paixão por viagens virou até conta no Instagram com dicas e paisagens incríveis como esta de Phuket, Tailândia (Foto: Arquivo Pessoal)

Planeje e pesquise o máximo que puder

Fernanda e Tassia afirmam que é possível ter a viagem dos sonhos sem transformar a realidade financeira em um pesadelo. O equilíbrio, neste caso, consiste em um planejamento meticuloso. “A dica é procurar em vários sites, ter datas flexíveis e evitar a alta temporada. Para viajar com frequência, a gente tenta comprar passagens aéreas com milhas. Assim, economizamos muito e conseguimos viajar mais”, diz a publicitária.

Na internet dá para pesquisar e analisar os preços de passagens aéreas e hotéis em diferentes datas, uma boa opção para aqueles que conseguem programar o período das férias. Para evitar que o orçamento decole demais, Tassia também pesquisa aspectos como o roteiro, a melhor época do ano para visitar a cidade, lugares para acomodação e passeios realmente indispensáveis.

Confira algumas dicas de organização para aproveitar o máximo das férias. Clique para ampliar. (Ilustração: Tiago de Moraes/ZACHPOST)

“Sempre comparo os hostels e leio as avaliações para saber o que esperar. Alguns blogs já trazem planilhas de certos roteiros com essas informações, o que ajuda demais”, enumera Tassia. Mais em conta que os hotéis convencionais, os albergues são conhecidos pelos espaços compartilhados, embora alguns ofereçam quartos privativos para o hóspede, por exemplo. “Busco os melhores e fico em quarto com bastante gente, não ligo. São ótimos para quem viaja sozinho. Você faz amigos, a galera é super viajada e descolada”, afirma.

Além disso, os gastos com alimentação, transporte e atividades devem constar no planejamento antes mesmo da viagem, como sugere Tassia. “Tento comer a comida típica do lugar em um restaurante badalado no primeiro dia, mas nos outros faço as compras no mercado, divido a conta com os amigos”. E claro, resistir a tentação de afundar o cartão de crédito nas lojas de souvenirs.

A dica de Fernanda é utilizar a internet para pesquisar o máximo que puder.

“Na maioria das vezes, compensa comprar um ticket de entrada, alugar um carro, comprar uma passagem, reservar um hotel pelo próprio site do estabelecimento. Dá trabalho procurar tudo isso, mas para quem quer economizar é essencial”, comenta a publicitária Fernanda Arantes.

Imprevistos sempre ocorrem. “O que já aconteceu foi de sofrer com intoxicação alimentar em países com culinária muito diferente, já ficamos sem água quente não ter eletricidade a partir de determinado horário. Mas tudo em uma viagem é válido”, complementa Fernanda Arantes. Alguns perrengues podem ser evitados, separando antecipadamente a documentação exigida em viagens, seguro e a receita médica de remédios de uso contínuo, no caso da insulina e antibióticos, por exemplo.

Para quem está com a grana curta, tem medo de viajar ou não tem muito tempo, dá para aprender bastante explorando os pontos turísticos das cidades vizinhas. É possível passar um fim de semana —aquele famoso bate-volta — e ainda aproveitar o que a região tem de melhor para oferecer.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Cult

Entre uma tirinha fálica e outra, cartunista faz sucesso na internet ironizando a superficialidade do cotidiano e a cultura youtuber.

cinema

Cronista visual da realidade brasileira, autor de “Tungstênio” fala sobre o processo de criação da graphic novel e reflete sobre as mudanças e tensões...

Cult

Guitarrista e veterano da cena psycho nacional, Alex From Hell conta sobre a história, referências e expectativas do grupo, que acaba de lançar o...

Opinião

Escritor Paulo Coelho relembra o seu cárcere e as sessões de tortura por agentes da ditadura militar, um período constantemente celebrado pelo atual presidente...