Facebook exclui rede de páginas e contas de apoio a Jair Bolsonaro

De acordo com a empresa, os perfis foram removidos por violação da políticas de autenticidade e de spam; Páginas tinham um longo histórico de veiculação de notícias falsas.
Facebook bane principal braço de engajamento pró-Bolsonaro na rede social (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil; Ilustração: Tiago de Moraes/ZACHPOST)

Tiago de Moraes

Uma das principais redes de engajamento favorável ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) nas redes sociais, o grupo Raposo Fernandes Associados (RFA) teve 68 páginas e 43 contas banidas do Facebook por violação da políticas de autenticidade e de spam da rede social, nesta segunda-feira (22).

A lista inclui páginas conhecidas não apenas pela propagação de conteúdos de viés de direita, mas também pelo extenso histórico de disseminação de notícias falsas, entre elas a Folha Política, TV Revolta, Correio do Poder, Gazeta Social e MCC — Movimento Contra a Corrupção.

Juntas, as páginas pertencentes ao grupo RFA somavam mais interações e curtidas na rede social do que celebridades como Neymar Jr, Anitta e Madonna. O Facebook nega que tenha removido as páginas por conta do conteúdo.

“As pessoas por trás da RFA criaram páginas usando contas falsas ou múltiplas contas com os mesmos nomes, o que viola nossas políticas. Eles então usavam essas Páginas para publicar uma grande quantidade de artigos caça-cliques, com o objetivo de direcionar as pessoas para seus sites fora do Facebook, justifica o Facebook em comunicado divulgado à imprensa.
Foram excluídas do Facebook páginas pró-direita como Folha Política, TV Revolta, Correio do Poder, Gazeta Social e MCC — Movimento Contra a Corrupção (Foto via captura de tela)

Ainda de acordo com a rede social, depois de clicar nos artigos, os usuários eram transferidos para sites com uma “grande quantidade de anúncios programáticos e pouco conteúdo”, conhecidos como “fazendas de anúncios”. A RFA é administrada pela Novo Brasil Empreendimentos Digitais Ltda, do casal Ernani Fernandes Barbosa Neto e Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves. A empresa Novo Brasil, por sua vez, foi aberta pelos dois em setembro do ano passado na Junta Comercial de São Paulo.

De acordo com uma reportagem do UOL publicada em maio, os donos da RFA receberam R$ 24 mil do líder do PSL na Câmara, o deputado Delegado Francischini, por meio da cota parlamentar. Francischini é constantemente mencionado — e elogiado — em vários posts da Folha Política. O PRTB também consta entre os apoiadores da RFA. Segundo o The Intercept, o partido da coligação e do vice de Bolsonaro destinou cerca de R$ 25 mil ao grupo.

A reportagem de ZACHPOST ainda não conseguiu entrar em contato com o casal nem com os representantes do grupo Raposo Fernandes Associados.

Total
0
Shares
Conteúdos Relacionados